Ensinando Elétrica  | Dicas e Ensinamentos

"O conhecimento muda a vida das pessoas"

Como reciclar as lâmpadas fluorescente?

- A lâmpada fluorescente, criada por Nikola Tesla, foi introduzida no mercado em 1938 com a principal característica de consumir menos energia que as lâmpadas incandescentes. Diferente das lâmpadas de filamento, as lâmpadas fluorescentes possui grande eficiência por emitir mais energia eletromagnética em forma de luz do que calor.


As lâmpadas fluorescentes são compostas por basicamente dois elétrodos em cada um dos extremos de um tubo de vidro, que é coberto por um material à base de fósforo. Este material à base de fósforo é excitado pela radiação ultravioleta gerada pela ionização dos gases, produzindo luz visível.

Fonte :Wikipédia

As lâmpadas fluorescentes são até quatro vezes mais eficientes que as lâmpadas incandescentes e também geram uma economia de 80%. Mas depois da sua vida útil, o que fazemos com elas? JOGAMOS NO LIXO!.

Publicidade:


Além de estarmos desperdiçando matéria prima, estamos também agredindo o meio ambiente com materiais não biodegradáveis que vão levar séculos para se decompor.

O que eu posso fazer com estas lâmpadas?

 -Simples! Por que não reciclar?

Uma lâmpada fluorescente queimada ou com defeito, não perdeu totalmente a sua utilidade. Geralmente o seu circuito está em um ótimo estado. Apenas a lâmpada queimou, ou vice-versa.

Vamos ao trabalho.


  • Você vai precisa de uma lâmpada fluorescente que esteja danificada
  • Com o auxílio de um pano grosso, segure a parte de vidro e tente torcer para quebrar


Nota:

Geralmente elas abrem com facilidade. Basta girar e puxar sem aplicar muita força.
Caso contrário, use a serra e corte onde elas se separam parar evitar cortes com o vidro da lâmpada.


  • Dentro da lâmpada você irá encontrar o circuito reator.
Lâmpada fluorescente por dentro
  • Você pode dessoldar os filamentos da lâmpada
  • Você também não irá precisar da carcaça, então dessolde os outro dois fios que estão presos à carcaça
  • Não jogue a carcaça fora!

Ok, agora você tem o reator de uma lâmpada fluorescente. Agora basta saber se o circuito está em bom estado.

Publicidade:



Testando o reator

Você irá precisar de um multímetro, e algumas ferramentas (ferro de solda, sugador, solda, etc...).
Com um multímetro, teste se o fusível está em bom estado.

Nota:

Ligue o multímetro no modo de "resistência", e ligue as duas extremidades do fusível, que está bem próximo de um dos fios de alimentação.Os fusíveis podem ser apresentados como um pequeno cilindro, no formato de um resistor ou até mesmo dentro do fio de alimentação. 

De qualquer forma a sua resistência deve ser igual a zero. Se não der zero, significa que está queimado. Compre um fusível (R$ 0,30) de 250mA e substitua pelo fusível queimado.


Como na imagem, solde um fio e uma "perna" de algum componente (Ex.: resistor, capacitor, etc...) nas extremidades do fusível.Solde no lugar no antigo fusível. 

Se preferir, também pode isolá-lo para evitar curto-circuito. Se preferir, faça uma ligação direta nos dois furos do fusível, e coloque o fusível soldado diretamente ao fio de alimentação. Desta forma facilita-se a troca do fusível.
  • Geralmente as "pernas" dos capacitores não estão isoladas. Verifique se elas não estão fechando um curto
  • Verifique também se os capacitores não estão estourados
  • Veja se não há nenhum componente com a solda solta
Bom, agora parece que o circuito está em ordem. Basta saber qual a potência do seu reator.

Vide a carcaça da lâmpada onde estará escrito em Watts (W), a potência do seu reator.

Ora, se o seu reator tiver uma potência de 25W, isso quer dizer que você pode usar uma lâmpada de até 25W.

ATENÇÃO: Não ultrapasse a potência máxima do seu reator! Você poderá danificar o circuito.

Então vamos lá....

Lâmpada fluorescente 8 watts
Uma lâmpada destas consome 8W. Se o reator tiver 25W, você poderá ligar até três lâmpadas em apenas um reator. Veja os esquemas:

  • Onde você havia dessoldado os fios de alimentação, solde outros dois que possam ser plugados na tomada
  • Agora note que há quatro pinos ou furos, onde estavam conectados os eletrodos da lâmpada
  • Solde as duplas em cada extremidade da lâmpada
  • As duplas deve ser necessariamente essas. Não importa a polaridade, você poderá ligá-las em qualquer polaridade, porém observe com atenção
Meu reator tem 16W, posso ligar outra?

Sim, basta seguir o esquema:


Da mesma forma que unimos duas pilhas, ligamos uma dupla em uma extremidade da lâmpada e a outra dupla em uma das extremidade da segunda lâmpada.Depois unimos as duas com um pequeno fio.

Se você possui um reator de 25W, basta dar seguimento ao esquema. Basta imaginar três pilhas enfileiradas, ligar em uma das extremidades de duas lâmpadas e unir todas por um pequeno fio.

Mas não se esqueça:

Publicidade:



Se o seu reator tiver 15W, não tente ligar duas lâmpadas de 8W de maneira alguma.

Tudo bem, eu gastei meu tempo fazendo isso, e agora?

Como eu já havia dito, se não houver a reutilização desse material, ele vai acabar indo para o lixo e levará anos para ser decomposto.Talvez você esteja se perguntando: "Não seria mais fácil comprar lâmpadas novas?".

Bem, seria sim. Mas a questão não é essa. Temos que nos preocupar cada vez mais com o meio ambiente, recursos naturais e com o lixo eletrônico que cresce a cada dia que passa.

Antes de comprar uma nova lâmpada, pense na matéria prima que foi gasta, o quanto de poluição foi emitida e para onde a sua lâmpada vai. Será que não seria mais conveniente reciclar uma lâmpada?
O consumo de energia vem crescendo de forma descontrolada, e o que muitos não sabem, é que para tudo que é fabricado há um consumo de energia significativo. A forma com que o homem transforma as forças naturais em energia elétrica, acaba agredindo todo o ecossistema.

Desde o começo da década, o planeta elevou a sua temperatura em 1° C. Pode parecer pouco mas foi o suficiente para derreter geleiras, mudar migrações de animais, extinguir animais e aumentar a proliferação de algumas pestes que estão destruindo florestas inteiras.

É previsto que em 2019, a temperatura no planeta aumente 3° C. Cientistas afirmam que quando a terra se encontrava nestas condições, não havia vida no planeta.

Reflita e tire as suas próprias conclusões. Seu descendentes não serão os culpados pelo estado em que o planeta se encontrará.

Forte abraço e até o próximo artigo.

Recomendamos: