Ensinando Elétrica  | Dicas e Ensinamentos

"O conhecimento muda a vida das pessoas ✌ (ツ)"

O que é um Quadro de Distribuição Elétrico? by CitiSystems

Um quadro de distribuição (também conhecido como painel de disjuntores ou simplesmente painel elétrico) é um componente agregado ao sistema de fornecimento de energia elétrica que tem a função de dividir uma alimentação elétrica em circuitos subsidiários. Em outras palavras, o quadro de distribuição é o responsável por coletar a energia na entrada de uma indústria ou residência e subdividir esta energia em subcircuitos.

Quadros Elétricos de Distribuição Residencial

Como cada subcircuito demanda um fusível e um disjuntor (proteção do circuito), o quadro de distribuição é muito conhecido por um painel com vários disjuntores termomagnéticos interligados por barramentos.

Ad:


Normalmente, o disjuntor principal ramifica principal em vários disjuntores menores com correntes menores e como o barramento pode de certa forma sofrer uma descarga elétrica,  costuma-se empregar dispositivos de proteção de surto no projeto do quadro de distribuição.

Confira o vídeo explicativo abaixo - Produção de 


A Figura abaixo mostra a o interior de um típico painel de distribuição tipicamente fabricado no Brasil. Veja pela imagem que neste tipo de painel, os três fios da fase de entrada conectam-se aos barramentos através de um disjuntor principal no centro do painel. Outra característica é que em cada lado do painel coloca-se dois barramentos, sendo um para o neutro e outro para o terra.

Ad:


O neutro de entrada geralmente se conecta no painel em um barramento colocado na parte inferior no lado esquerdo. Já o fio terra de entrada se conecta ao barramento inferior no lado direito do quadro de distribuição. Uma placa de proteção em policarbonato é utilizada para proteger e reduzir o risco de choque elétrico por encostar no barramento caso alguém opere os disjuntores.



Abaixo, é possível visualizar um esquema de projeto elétrico para um quadro de distribuição. Neste projeto em questão estão sendo considerados 2 fases e 5 subcircuitos, sendo que todos estão interligados e protegidos contra surto com a utilização de DSPs (Dispositivos de Proteção contra Surtos).

Exemplo de um projeto elétrico de um quadro de distribuição bifásico

O painel visualizado na Figura acima inclui uma grande quantidade subcircuitos e neste caso todos estão sendo utilizados. No entanto é comum encontrar no mercado fabricantes produzindo versões de quadro de distribuição com 18 a 24 disjuntores utilizando a mesma caixa ou quadro. Isto porque podemos padronizar os barramentos ou prever circuitos reservas em caso de alteração de projeto.

Ad:


As grandes instalações comerciais, públicas e industriais geralmente operam com alimentação de energia trifásica e poderemos encontrar neste caso quadros de distribuição compostos por duas fileiras verticais de disjuntores.

Alguns Critérios a Seguir no Projeto e Montagem de Quadros de Distribuição

Montagem

Na montagem do quadro de distribuição devem ser observados:


  • Acessibilidade a todos os componentes instalados;
  • Identificação dos componentes (Placas e Etiquetas);
  • Independência dos componentes (Interferência prejudicial);
  • Espaço Reserva (Prever aumento da demanda).
  • Conforme a NBR 5410 informa, com relação ao espaço reserva, deve ser seguido:



Advertência para Quadro de Distribuição

Segundo o item 6.5.4.10 da NBR 5410:2004, os quadros devem ser entregues com a advertência indicada na Figura 3, a qual pode vir de fábrica ou afixada no local da obra. Não é especificado em que material a advertência deve ser feita, mas exige-se que ela não deve ser facilmente removível.



Advertência

1 – Quando um disjuntor ou fusível atua, desligando algum circuito ou a instalação inteira, a causa pode ser uma sobrecarga ou um curto circuito. Desligamentos frequentes são sinais de sobrecarga. Por isso, NUNCA troque seus disjuntores ou fusíveis por outros de maior corrente (maior amperagem) simplesmente. Como regra a troca de disjuntor ou fusível por outro de maior corrente requer, antes, a troca dos fios e cabos elétricos, por outros de maior seção (bitola).

2 – Da mesma forma, NUNCA desative ou remova a chave automática de proteção contra choques elétricos (dispositivo DR), mesmo em caso de desligamento sem causa aparente. Se os desligamentos forem frequentes e, principalmente, se as tentativas de ligarem a chave não tiverem êxito, isto significa, muito provavelmente, que a instalação elétrica apresenta anomalias internas, que só podem ser identificadas e corrigidas por profissionais qualificados.

Ad:




A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DE MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

Esse artigo foi elaborado por :

About the Author: 

Formado em Engenharia Elétrica pela UNESP (Universidade Estadual Paulista) com Pós Graduação MBA em Gestão de Projetos pela FVG (Fundação Getúlio Vargas) e certificação internacional em Gestão de Projetos pelo PMI (Project Management Institute). Também possui certificação Green Belt em Lean Six Sigma. Atuou na implantação dos pilares de Engenharia de Confiabilidade Operacional e Gestão de Ativos Industriais em grandes empresas como Votorantim Metais (CBA) e Votorantim Cimentos. Como Gerente de Projetos pela Siemens e Citisystems, coordenou vários projetos de automação e redução de custos em empresas como Usiminas, JBS Friboi, Metso, Taesa, Cemig, Aisin, Johnson Controls, Tecsis, Parmalat, entre outras. Possui experiência na implementação de ferramentas Lean Manufacturing em empresas como: Faurecia, ASBG, Aisin Automotive, Honda, Unicharm e Flextronics. Atualmente é Diretor de Projetos na empresa Citisystems e membro do Conselho de Administração da Inova, organização gestora do Parque Tecnológico de Sorocaba.

Recomendamos também:

Veja o que tem pela WEB